Odali Cardoso

cabecalho-site.jpg

Com esse desabafo, Mário Dantas, conselheiro da AABB deu suas impressões sobre o período da administração atual. E continuou:

- Faço parte do Conselho desde 1990, quando eu, Osvaldo Lima, Getúlio Abrahão e outros lançamos a candidatura do Odali, numa campanha feroz. Os contrários falavam: “O Odali precisa fazer vestibular para ser o presidente da AABB”. Isso deu-nos mais força para a busca dos votos e ele conseguiu a vitória. A resposta àquela provocação veio com o seu trabalho, com as mudanças que promoveu. Para se ter uma idéia o bar era quase dentro da piscina, as quadras eram apertadas, os espaços mal divididos, tudo foi reconstruído e transformado em novas instalações com estacionamento para veículos dentro da sede. Se não fosse essa visão do Odali, a Associação talvez tivesse fechado suas portas. Hoje podemos dizer que a AABB é um dos Clubes de maior importância do Rio de Janeiro e do Brasil.

 Ao terminar disse: “Nós não poderemos jamais esquecer as figuras de Schermann, administrador nato, que foi presidente de todas as Associações Bancárias do Rio de Janeiro, inclusive a AAFBB; de Cídio Carneiro, Heitor Cotrim, Oswaldo Lima e muitos outros que trabalharam em prol de nossa entidade”

odali-cardoso.jpg

Odali Cardoso fez da AABB uma associação democrática

Conheço, como poucos, convivo na AABB, por muitos anos, e posso hoje dizer de peito aberto que Odali Cardoso foi o Presidente que impôs aqui uma verdadeira revolução. A Associação era dividida em grupos, uma turma muito elitizada que deixava sempre os demais associados em plano secundário.

Odali foi eleito e cercou-se de uma equipe competente fazendo obras de extrema necessidade, criando espaços e essa rearrumação fez com que o Clube ficasse com nova fisionomia e o associado se sentisse igual, seja da categoria que for, de todos os quadros de funcionários do Banco, de qualquer graduação.

Compartilhar:

Comentários